Você diz que seus pais não te entendem...

04/09/2016

... mas você não entende seus pais.
Olá pessoas!
Quando eu era moleca (lá venho eu de novo com as histórias de tia Duane), não entendia meus pais, e, consequentemente, acabava ficando com muita, muita raiva.
Nunca contei pra vocês, mas tive, e ainda tenho, uma educação rígida. Saía poucas vezes por ano porque meus pais proibiam, e sempre fui aquela que deixava a festinha de aniversário antes mesmo dos parabéns.
Deixei de fazer viagens, de ir às festas de 15 anos (fui até chamada pra ser madrinha de uma, e, adivinhem só: não fui), de assistir filmes, sair à noite... a lista é longa.
A educação rígida moldou minha personalidade sim, pra pior e pra melhor. Mas acredito que meus pais têm muita sorte. Eu poderia ter me revoltado, como muitos filhos fazem.


Senti raiva sim, muita raiva. Poxa, não é fácil ser privada de coisas tão banais como a festa de 15 anos da colega de classe. Não é fácil ver todos os seus amigos sorrindo numa foto no Facebook, muito felizes sem você, que foi proibida de estar com eles, que nem se dão mais o trabalho de te convidar para as coisas, já que você nunca vai mesmo.
Aos 16, fiz planos de sair de casa aos 18. Arrumei um namorado idiota, deixei a pessoa que eu sempre amei de lado, simplesmente porque o gótico suave era babaca ao ponto de topar morar comigo, coisa que o F., sempre mais racional que eu, obviamente iria recusar (não precisamos nem comentar o quanto me arrependo dessa decisão, não é mesmo?).
Mas, depois de um tempo, acordei. Como eu iria viver com alguém que não amava? Como eu iria me sustentar? Como eu iria conseguir magoar meus pais? Simples: não iria.


Acordei. Comecei a perceber que, se eles agem dessa forma, é porque acham correta. Não fazem por mal. Não me odeiam. Não estão querendo arruinar minha vida ou coisa do tipo. Pelo contrário: toda essa maluquice de me prender era por um motivo nobre. Eles queriam me proteger.
Não concordo com a atitude deles. Mas compreendo. Temos que levar em consideração toda a história da pessoa, tudo que ela passou, toda sua bagagem emocional, pra tentar começar entender suas atitudes.
Se hoje eu tenho raiva? Não. Só tenho amor. Obviamente ainda fico muito puta com certas atitudes deles, mas é irritação passageira. O amor e a gratidão valem muito mais que isso.
Beijos,
           Duane.
logoblog

12 comentários:

  1. Duane
    Que legal você pensar assim e não ficar revoltada pelos "nãos" que recebeu ou que receberá, os pais não estão sempre 100% certos, mas eles apenas são cuidadores e falíveis de erros e acertos. Ás vezes, muitos nãos, não é uma coisa boa, mas em certos momentos é muito bom. Excelente post!
    Beijos e bom início de semana!
    DMulheresInstagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eles são gente como a gente, hahah.
      Verdade.
      Muito obrigada ♥

      Excluir
  2. Migs, eu te entendo, como já te falei algumas vezes.

    Apesar de ser mais velha do que você, ainda sou cuidada e protegida como se tivesse dez anos. Por algum tempo eu não entendi, mas depois de crescer um pouco e levar em conta essa bagagem emocional e muitas coisas que aconteceram na vida da minha mãe, eu compreendi um pouco mais. Ainda busco um pouco mais de liberdade do que a que tenho, mas sei que a hora vai chegar e que está perto. E amor é mesmo como a gente pode e deve retribuir todo esse amor louco que os pais tem por nós.

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é fácil, né? Vai sim, a minha também.
      Com certeza!

      Muito obrigada, migs ♥

      Excluir
  3. Duane, que blog mais maravilhoso que você tem, primeira vez aqui e to xonada!

    Eu te entendo demais, eu sempre morei com a minha avó, por motivos que meus pais são separados e tudo mais. E além de tudo, ela tem uma mente completamente fechada, e antiga. Eu nunca cheguei a ir na casa de uma amiga minha brincar, quando era criança, porque minha avó não deixava nem se ela conhecesse a bisavó da minha amiga. Festinhas de criança, de 15 anos, aquele show maravilhoso que eu tanto queria ir, não fui, mesmo que o lugar do show fosse na esquina da minha casa, não pude ir. E isso foi desde lá de trás e até hoje.
    Tenho 18 anos e sou tratada como se tivesse 10. E isso é sim, muito ruim.
    Como você disse, é até compreensivo por um lado, mas é algo em que eu não aceito completamente, se fosse pra mudar, eu mudaria. E concordo contigo, obviamente isso muda o nosso jeito de ser, minha família também deu sorte por eu nunca me revoltar, ahaha.
    Mas creio que com o tempo, tudo se torna mais suportável.
    Beijão,
    radioactivebookss.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwwwn, volte sempre!

      Nossa, isso é muito, MUITO complicado, e eu te entendo. É difícil quando os pais não entendem direito (ou a gente não entende, sei lá).
      Pois é x.x
      Com certeza muda, e eu ainda não consigo decidir se é mais pra melhor ou mais pra pior. Talvez eu nunca descubra.
      Verdade, tudo passa!
      Muito obrigada, Jéss! ♥

      Excluir
  4. Que reflexão maravilhosa! Meus pais nunca me deixavam sair também, quando fiz meus 16 anos que comecei sair mais.. Não vejo nada disso como um mal, até porque nos dias de hoje as coisas estão sem pé nem cabeça, para educar alguém e fazer com que ele não siga um caminho ruim é necessário uma certa rigidez mesmo..

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em partes ;) Acho que tudo tem que ter um meio termo.
      Obrigada :3

      Excluir
  5. Me abraça porque na minha adolescência eu também mal saia, pra não dizer que eu não saia, eu ia muito ao shopping tomar sorvete e/ou ir no cinema. Eu vivo falando isso para os meus pais "Vocês tem que dá sorte que eu sou calma, porque se eu fosse uma filha diaba, eu iria ser revoltada com vocês e ia fazer dessa casa um INFERNO!" hahahahaha! Aí eu sofria com isso também, que de tanto em não poder ir nos lugares, as amizades até paravam de me chamar para as coisas. Acabou que foi melhor assim, já que a maioria das minhas amizades se encrencaram agora com a minha idade, a maioria das meninas engravidaram e, os garotos, a maioria deles não terminaram os estudos e tão aí até hoje "dando um jeito" de sobreviver nesse mundo louco que a gente vive. Mas Du, você chegou a morar sozinha por um tempo? Ou só cogitou a ideia de morar com seu namorado? Eu penso em primeiro morar sozinha mesmo, eu e eu, só depois cogito pensar morar com meu namorado (aquele que ainda nem tem nome, hahaha!).

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thami, eu nem isso fazia!
      HAHAHAHAH eles tem muita sorte mesmo hahahah.
      Acabou sendo melhor mesmo e.e ainda bem!
      Só cogitei, graças a Deus mudei de ideia a tempo HAHAH.
      Hoje eu também penso assim ;)
      Obrigada, Thami ♥♥♥

      Excluir
  6. Du, meu pai sempre foi mais rigoroso por questão de ciume, mas eu conseguia driblar ele com muito xodó de filha caçula hahhaha infelizmente ele não está mais entre nós, mas, hoje eu entendo muito mais os motivos dele. Ele queria cuidar de mim. Não sinta raiva mesmo, não vale a pena! Eles são seus pais e só querem o seu bem! Muuuita coisa que o meu pai tentou colocar na minha cabeça e agora eu dou toda razão a ele e principalmente em relação a namoricos!

    Beijão, mariasabetudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus pêsames, Sté. Com certeza ele está em um lugar melhor.
      Não mesmo! Siiiim.
      Passa um tempinho e a gente finalmente entende, né?
      Obrigada pelo comentário ♥

      Excluir

Gostou? Comente! Não gostou? Me diz onde errei pra arrumar ;)
E please, se for pra fazer comentário inútil, o temido spam ("adorei o post, visita meu blog?" blergh) sério, pode ir embora meu amor.
Se você tá na vida de blogueiro(a) também, e fizer um comentário legal após ter lido o post, pode ter certeza que vou retribuir a gentileza, é só deixar o link ♥

1 a 6123456Próximo
1T 1U 1V-1k

Receba as novidades do blog no seu e-mail

Siga no instagram