Ela se acha

09/01/2017


Olá, pessoas!
Já comentei por aqui que muita gente tem birra da minha cara por pensar que eu me acho. Começou há muito tempo, por motivos de timidez. Eu ficava no meu canto lendo e sorria quando me elogiavam. Isso já era razão pra ser taxada de “metida”. Viviam dizendo “aquela menina se acha”, sendo que naquela época eu me achava sim. Me achava um monte de lixo ambulante. Triste, porém, era assim que eu me sentia, por isso sorria toda vez que alguém me elogiava. Parecia ser uma luz no fim do túnel (com o tempo, aprendi que não tem nada de errado em aceitar elogios - só devemos tomar cuidado com gente falsa e com a galera que tenta se aproveitar da nossa boa vontade).
Comecei a observar e percebi que, em geral, todo mundo diz que é importante ter amor-próprio, mas é considerado feio quando alguém tem consciência de suas qualidades, pontos fortes e feitos mais consideráveis. É “feio” porque aí a pessoa não é mais humilde. É nesse momento que surgem os cochichos dizendo “ela se acha”.
Meu querido, ela não se acha. Ela já se achou. Ela sabe muito bem quem é, o que faz, o que pode e onde quer chegar. Se você não sabe, por que fica bravo? Por inveja?
Hoje em dia, quando as pessoas dizem que eu me acho, elas estão corretas. Se com “ela se acha” querem dizer que reconheço minhas qualidades e faço uso delas, então essa expressão realmente se aplica a mim.
É muito importante ressaltar também que existe uma diferença enorme entre se achar e não ser humilde. Sim, muita gente se acha e não é humilde, infelizmente. Mas nem todo mundo é assim. Eu por exemplo, me acho muito inteligente, mas isso não significa que eu me acho mais inteligente que todo mundo, nem que diminuo outras pessoas. Apenas reconheço um ponto forte meu. Além disso, quando uma pessoa se acha, isso não implica em perda da generosidade. Eu continuo tendo compaixão pelos outros, e, acima de tudo, continuo reconhecendo e exaltando os pontos fortes de outras pessoas, pra que elas também possam se achar. E o objetivo desse texto é exatamente esse: fazer com que você também se ache. Porque você pode e deve se achar!
Esse vídeo da Luiza Junqueira resume tudo que eu falei até agora:


E você, se acha ou odeia quem se acha?
Beijos,
           Duane.


logoblog

2 comentários:

  1. Adorei, Du! Eu ainda estou na busca de me sentir confortável em admitir minhas qualidades (inclusive as profissionais - quase chorei atualizando meu currículo porque achava tudo exagerado), mas sei que é um processo e estou me esforçando. Vou linkar seu texto lá no blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um processo diário mesmo, e eu ainda pretendo falar sobre isso por aqui, considero importante. Eu espero que você se ache muito, afinal, você é tudo de bom, cara!
      Eba! Fiquei muito feliz com isso ♥
      Obrigada, Bru, você é incrível ♥

      Excluir

Gostou? Comente! Não gostou? Me diz onde errei pra arrumar ;)
E please, se for pra fazer comentário inútil, o temido spam ("adorei o post, visita meu blog?" blergh) sério, pode ir embora meu amor.
Se você tá na vida de blogueiro(a) também, e fizer um comentário legal após ter lido o post, pode ter certeza que vou retribuir a gentileza, é só deixar o link ♥

1 a 6123456Próximo
1T 1U 1V-1k

Receba as novidades do blog no seu e-mail

Siga no instagram