Resenha: Dois Irmãos (Milton Hatoum)


Olá, pessoas!
Já faz algum tempo que eu venho colocando mais livros clássicos na minha lista de leitura. Sei que muita gente tenta fazer isso também, mas não consegue, já que, na maioria das vezes, a motivação vem do fator “preciso ler isso pra passar no vestibular” ou “pra pagar de cult”. Minha dica é: leia o que lhe atrai. Foi tendo esse pensamento em mente que comecei a ler Dois Irmãos, de Milton Hatoum (sim, foi por causa da adaptação feita pela Globo).
Dois Irmãos conta a história de Omar e Yacub, gêmeos idênticos que de igual só têm as feições. Um é fanfarrão, não gosta de trabalho e vive aprontando. Outro é quieto, estudioso e possui ambição. Obviamente as diferenças geram atrito.
Tudo é narrado por um habitante da casa, que de início a gente não sabe quem é. Além disso, não só a história dos irmãos é contada. O pai, Halim, a mãe, Zana, a empregada, Domingas e a irmã, Rânia, também têm um espaço em Dois Irmãos - coisa que eu gostei muito, porque assim absolutamente todos os personagens centrais foram bem trabalhados e a conexão criada com eles foi maior.
O cenário é Manaus no início do século XX, outra coisa que eu curti bastante, já que me fez sair do já óbvio eixo Rio-São Paulo dos livros brasileiros, e de Londres/Nova York, dos best-sellers internacionais.
O livro começa no fim, com uma citação de Drummond, o que me fez ficar apaixonada logo de cara. Confesso que não sou muito fã de histórias com muitas descrições e drama, mas essa me fisgou por conta da ótima narração.
Ai, posso falar? Pra mim, o narrador roubou a cena. Gostei bem mais dele do que de Omar e Yacub (ok, o Halim também conquistou um espacinho generoso no meu coração), e foi incrível desvendar cada mistério que o envolvia (quem ele é? Quem é seu pai? Qual foi seu destino? Sexta-feira, no Globo Repórter).
Algumas coisas em Dois Irmãos podem chocar, mas acho que era esse mesmo o objetivo do autor. O exagero em algumas ações está sempre presente, e elas nos fazem pensar em como o ser humano é um bicho complexo.
Já deu pra perceber que Dois Irmãos me agradou bastante, né? Recomendo sem nem precisar pensar duas vezes.

Sobre a minissérie da Globo


Olha, não posso falar muito, já que não assisti tudo, mas a crítica especializada, em geral, disse que a versão televisiva pecou pelo excesso. Pelo pouco que vi, percebi que sim, eles deram um jeito de deixar a coisa mais melodramática mesmo, com bastante choro, sexo e gritaria. Além disso, o esquema de cores utilizado foi, ao meu ver, parecido com o da novela Velho Chico (com um contraste bem forte e filtro amarelado). A história até que foi bem fiel ao livro, e, apesar dos excessos e algumas modificações, eu gostei do pouco que vi por conta da trama ser envolvente. Pelo que pesquisei, a série está disponível no Globo Play, um serviço no estilo Netflix, só que com coisas da Globo, que custa tantos por mês (eu estou bem curiosa pra testar e contar por aqui como é).

E aí, vocês leriam Dois Irmãos? Assistiram a minissérie?
Beijos,
           Duane.

2 comentários:

  1. Quando eu prestei vestibular, na UFRGS, esse livro estava nas leituras obrigatórias. Foi o melhor livro da lista e fiquei muito feliz por ter sido "obrigada" a ler a obra. Não lembro mais os detalhes, mas gostei bastante mesmo. Quanto à minissérie, não assisti, não. To trabalhando tanto nos últimos tempos que só descobri que tava passando no último dia! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena. Mas procura na globo play!
      Obrigada, Bru ♥

      Excluir

Gostou? Comente! Não gostou? Me diz onde errei pra arrumar ;)
E please, se for pra fazer comentário inútil, o temido spam ("adorei o post, visita meu blog?" blergh) sério, pode ir embora meu amor.
Se você tá na vida de blogueiro(a) também, e fizer um comentário legal após ter lido o post, pode ter certeza que vou retribuir a gentileza, é só deixar o link ♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...