Isso não vai virar post

17/04/2017


Vida de blogueira não é fácil. Pode parecer que é, mas juro, não é. Tenho várias leitoras blogueiras que podem confirmar isso pra você. Mas eu não vim reclamar, não. Hoje eu vim propor uma reflexão não somente pra quem trabalha com internet, mas pra todo mundo que utiliza a internet pra mostrar um pouco da sua vida.
Já parou pra pensar em como a gente está criando um grande álbum de fotografias/vídeos/pensamentos espalhado pela internet? Nossos pais mandavam revelar fotos de momentos importantes. Hoje a gente usa o mecanismo de memórias do Facebook pra relembrar essas coisas (e olha que às vezes elas nem são tão importantes assim). Sério, se eu fico mexida de ver que há três anos compartilhei tal foto de tal página, e o quanto aquilo representava a Duane daquela época, imagina como é pros pais que começaram a postar fotos do filho recém-nascido que hoje já é uma criança de 5 anos? É surreal. S-u-r-r-e-a-l.
Mas aí entram duas coisas que vivem rondando a minha cabeça quando começo a refletir sobre tudo isso: o quanto estamos vivendo enquanto documentamos certos momentos? Qual é o limite de exposição que devemos ter na internet?
Tenho uma amiga (melhor amiga aliás – oi, Andressa!) com a qual eu quase nunca tiro fotos pra postar em redes sociais. E olha que a gente se vê com certa frequência. Só que registrar esses momentos é coisa rara. Antes eu ficava bem brava ao ver que com outras pessoas ela tirava mil fotos e comigo, justo comigo, a MELHOR AMIGA BLOGUEIRA, POXA, não tinha nenhuma selfie. Nenhuminha. Eu botava toda a culpa nela, até perceber que eu mesma não me lembrava de tirar fotos enquanto estávamos juntas. Por que será?
Acabei chegando à conclusão de que se você está aproveitando 100% a companhia de alguém, vai ser bem mais difícil se lembrar de parar pra fazer um Stories, por exemplo. Porque eu não preciso provar pra ninguém que tenho uma amiga incrível. Eu apenas tenho e isso faz a minha vida um pouco mais maravilhosa. Não querendo dizer que se você tira fotos com a sua amiga você está com problemas. Só quero mostrar que às vezes a gente se preocupa mais com o que vai aparentar ser do que com o que realmente é, sacas?
Trazendo a questão aqui pro blog: desde que comecei a postar no Claramente Insana, tive que lidar com a questão da exposição/privacidade.
Praticamente tudo que eu vivo vira post. Um livro que li, um produto que usei, um filme que assisti, uma conversa que me inspirou. Mas será que tudo tem que virar post mesmo? Alguns diriam que sim. Primeiro porque eu sou uma pessoa pública (ai, nojenta), segundo porque tem post todo dia, então qualquer coisa que rolar tem que aparecer por aqui. E eu pensava assim até algum tempo atrás. Isso mudou depois que eu comecei a observar a vida de gente que se expõe, seja artista de TV, seja blogueira. Vi que quem entra nessa coisa de mostrar tudo fica infeliz. Porque a internet não é apenas uma distração, mas também não é apenas um trabalho. Um trabalho no qual sempre tem alguém te observando.
Vale mesmo a pena expor tudo? Será que tudo tem que virar post? Acho que não. Certas coisas, certas pessoas, certos momentos, merecem ficar guardados somente na minha memória, mesmo que ela seja bem falha. Porque aquilo é meu, só meu. E eu tenho certeza de que você consegue entender isso.
Beijos,
         Duane.
logoblog

6 comentários:

  1. To aqui nos comentários pra dizer: NÃO É FÁCIL SER BLOGUEIRA. PAREM DE ACHAR QUE BLOGUEIRA TEM VIDA BOA. Obrigada. Paz.
    Sim, também acho que é surreal isso. Porque quando que a um tempo atrás a gente pensaria que existiria uma ferramenta de memórias assim né? Meu Facebook só começou a entrar as memórias faz 1 mês, porque antes não entrava por nada. Minhas lembranças não apareciam pra mim. Eu ficava puta da vida, pensei que era problema do meu Facebook. Aparecia pra todo mundo, menos pra mim. Mas agora começou a parecer pra mim todos os dias e é muito nostálgico <3 adoro! Essas duas coisas que você refletiu, me preocupam. Tenho umas amigas assim também, uma em especial, tira foto com todas as amigas dela, posta sempre, e quando tá comigo ela nem vira a câmera pra minha cara e quando vira é pra mostrar um vulto rápido de mim no Snapchat dela. Eu fico brava porque sei que não é a mesma situação que a sua. Porque, por exemplo, tenho outra amiga que é bem próxima de mim também, a gente se diverte e registra tudo, porque a gente quer guardar cada momento pra rever depois, sabe? Então quando a gente sai juntas, a gente grava o máximo que consegue pra se divertir também, aí a gente consegue fazer tudo no controle, então é legal. E até mesmo as artistas de TV ou cantoras, tem pessoas que postam por elas, assessorias. O mesmo com as blogueiras, tem algumas que pagam pessoas pra alimentar as redes sociais delas, então de toda forma, nem elas ficam postando 100% tudo, e quando ficam, são infelizes mesmo. Por isso que eu só posto o que me convém, desde sempre. Antes eu tinha um tique de ter que postar todo dia, mas vi que não era necessário isso. Porque não é todo dia que tenho ideia pra post, então não vale a pena postar só por postar, sabe?
    Nem preciso dizer que amei o post né?

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PAZ.
      É demais, né?
      Nossa, Thami. Aí já é tenso, tem que conversar com ela direitinho pra tirar isso a limpo, cara! Mas que legal a outra amiga, eu tento ser assim com a Dessa mas não consigo, a gente esquece HAHAH.
      Então. Eu posto todo dia porque gosto mesmo, mas vai de cada um, o importante é ter conteúdo de verdade <3
      Eba!
      Obrigada, Thami ♥

      Excluir
  2. adorei seu post! quem nao é blogueira nao faz ideia do trabalho que da compartilhar tanto e criar tanto!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Eu desisti de blogar tantas vezes exatamente por isso, Du. Acabava ficando frustrada porque sentia que tudo o que eu fazia no dia a dia tinha que ser compartilhado no blog. Coisas eu até queria, como os filmes que eu assistia e os livros que lia, o problema foi quando eu comecei a ficar desanimada em fazer essas coisas (ler livros e assistir filmes/séries) porque me sentia na obrigação de resenhar no blog. Ou quando eu debatia com alguém sobre certo assunto e sentia que aquilo podia dar um bom post, mas eu me frustrava por não conseguir lembrar de todo o debate e sentia que era muito mais fácil falar do que escrever.

    Mudar essa minha mentalidade me permitiu voltar a blogar, mas as vezes ainda é meio difícil. Acho que sempre vai ser, pelo menos, um pouco difícil, né?

    Em relação a exposição nas redes sociais: nunca fui de postar tudo da minha vida em tudo que é lugar (só no twitter, mas esse é exceção, né? haha) então sou tranquilona com isso.

    Amei o post!

    Beijos ♡
    misinwonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Mis. É difícil encontrar esse limite do que vai virar post e do que não vai. Ultimamente eu ando me perguntando se isso vai ser útil pra quem lê e/ou se eu gostaria de conversar com algum parente sobre o que eu falei no post (pra ver se isso me constrangeria ou se daria treta). Assisti um vídeo MUITO bom do canal Acidez Feminina que me esclareceu muita coisa sobre esse assunto, super recomendo, é esse aqui, ó: https://www.youtube.com/watch?v=BuuIgE9kvzQ <3
      Acho que com o tempo a gente se acostuma a separar as coisas e tudo fica mais natural, tenha fé, Mis!
      Que bom <3
      Eba! Obrigada ♥

      Excluir

Gostou? Comente! Não gostou? Me diz onde errei pra arrumar ;)
E please, se for pra fazer comentário inútil, o temido spam ("adorei o post, visita meu blog?" blergh) sério, pode ir embora meu amor.
Se você tá na vida de blogueiro(a) também, e fizer um comentário legal após ter lido o post, pode ter certeza que vou retribuir a gentileza, é só deixar o link ♥

1 a 6123456Próximo
1T 1U 1V-1k

Receba as novidades do blog no seu e-mail

Siga no instagram