Resenha #GirlBoss (Sophia Amoruso)

Créditos da foto: Georgia Papadon
Em fevereiro eu fiz um post com a minha listinha de livros mais desejados pra 2017. Um deles era o #GirlBoss, que eu acabei adquirindo em ebook, mas está valendo mesmo assim, né? Então vamos à resenha o/
Sophia era uma garota problema. Ela sobrevivia vendendo livros roubados na internet (!), não fez faculdade e não tinha um tostão no bolso. Quase ninguém em sã consciência diria que em 7 anos ela se tornaria fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja de roupas femininas mega descolada, que hoje em dia é referência de estilo para várias pessoas ao redor do mundo. Em #GirlBoss, Sophia conta como esse “milagre” aconteceu, desde o surgimento da Nasty Gal até o momento em que ela fechou acordos com patrocinadores.
“Qualquer pessoa que quisesse fazer uma aposta certa, nos negócios ou na vida, jamais teria apostado dinheiro em mim. Mas isso não me dissuadiu de apostar em mim mesma. No fim, eu derrotei as probabilidades. Agora, sempre que me deparo com situações improváveis, lembro a mim mesma que se eu realmente quiser alguma coisa com gana forte o suficiente, me sentirei determinada a fazer acontecer.”
Esse é o tal do livro que quase todas as blogueiras já leram por motivos de a) Girl Power b) Empreendedorismo e c) Moda. Por isso eu sempre via muita gente falando bem dele. Acabei ficando curiosa e olha... não me decepcionei.
“Confie no seu estilo como você confia no seu carro usado. Isso significa usar o que você gosta e o que te faz sentir bem. E significa se vestir para você mesma — não para o seu namorado, não para os seus amigos, não para os seus pais. Aqui está uma coisa que a indústria da moda não dirá: A autoconfiança é mais atraente do que qualquer coisa que você possa pôr no seu corpo.”
Girl Boss é narrado em primeira pessoa e tem uma linguagem extremamente leve. É quase como se você estivesse conversando com uma amiga experiente e divertida. Cada página é um aprendizado. Várias seções são dedicadas a conselhos muito úteis, como “mancadas que podem condená-la ao desemprego” (o capítulo 8 – Sobre contratar, permanecer empregada e demitir – foi um dos meus favoritos). Cada fim de capítulo contém um texto de alguma outra #GirlBoss. São mulheres bem-sucedidas em diversas áreas que dizem coisas valiosas para quem também quer se dar bem na vida.
“Se você vai à uma entrevista de emprego, deve estar sempre preparada para dar respostas inteligentes a perguntas inteligentes, mas também respostas inteligentes a perguntas idiotas, e não custa praticar. Alguém provavelmente vai perguntar: ‘O que você gosta de fazer no tempo livre?’ e, mesmo que os seus hobbies incluam assistir a reprises de Friends, você deve preparar uma resposta mais apropriada.”
Útil, aliás, é a palavra que parece definir esse livro. Mas não é um útil chato de ler, aquele útil que você lê só porque sabe que vai precisar daquele conhecimento. Não, #GirlBoss é um livro escrito por uma mulher, voltado para mulheres, que busca desenvolver nelas uma grande força interior e, por consequência, atitudes vencedoras (as ilustrações e fotos são um bônus incrível).

Créditos da foto: Ela é carioca
Apenas em alguns momentos ter fiquei meio entediada (e ao mesmo tempo chocada): quando a Sophia conta coisas bizarras que fez antes do sucesso. Mas é legal ver que ela deixa bem claro que se arrepende de muitas atitudes (como os furtos), ao mesmo tempo em que tem consciência de que se não tivesse vivido aquilo, não seria a pessoa que é hoje e provavelmente não teria aberto a Nasty Gal.
“Ser pega roubando foi a gota d’água que fez transbordar tudo. Juntei as minhas tralhas e voltei para São Francisco, determinada a fazer algo legítimo e brilhante.”
Ah, antes que eu me esqueça: sim, o livro fala de moda, mas a Sophia, desde o começo, deixa claro que #GirlBoss não é um livro sobre como se vestir e ser descolada. É sobre desenvolvimento pessoal e como ser a melhor versão de si mesma (não é maravilhoso?).
“A minha definição do que é cool pode ser rara. Não tem a ver com ser popular nem com acordar com um LP girando no prato da vitrola como num filme de adolescentes dos anos 1980. Ser maldosa não faz de você uma pessoa cool, ser rica não é ser cool e ter as roupas certas, embora possa ajudar, não vai fazer de você uma pessoa cool . É cool ser gentil. É cool ser única. É cool ser honesta e segura consigo mesma.”
Procurei ler de forma mais lenta pra conseguir aproveitar mais e mesmo assim tenho certeza de que vou me pegar relendo várias partes novamente. Sabe por quê? Porque cara, é quase como se #GirlBoss fosse um guia sagrado! É tanta coisa legal que ler uma vez só é quase um pecado. Definitivamente vou comprar a versão física pra ter aqui em casa.
“Não importa quais sejam os seus sonhos, se você escutar só aqueles que estão à sua volta, as chances de seus sonhos se tornarem realidade são muito pequenas. O mundo adora lhe dizer como as coisas são difíceis e o mundo não está exagerando. E isso é um saco mesmo. Mas, aqui vai a real: Você não pode ter tudo, e nada vem fácil. Você vai fazer sacrifícios e abrir mão de certas coisas, vai se decepcionar e decepcionar outras pessoas, falhar e começar de novo, fazer algumas sofrerem e esbravejar com outras, e aprender a retomar e continuar quando alguém fizer você sofrer. Mas difícil não significa impossível, e das trocentas coisas do universo que você não pode controlar, o que você pode controlar é com que insistência vai tentar e se, ou quando, vai encerrar a questão.”
PS: Ao fazer pesquisas pra elaborar essa resenha, descobri que a Nasty Gal faliu ano passado. Pois é, também fiquei chocada! Vale lembrar, porém, que o livro da Sophia continua sendo válido mesmo assim. Falir uma empresa antes dos 30 e vendê-la por 20 milhões realmente não é pra qualquer uma. AH! E toda essa história vai virar série do Netflix, com estreia marcada pro dia 21 de abril. Você pode conferir o trailer legendado aqui.

E aí, já leu? Ficou com vontade de ler?
Beijos,

           Duane.

6 comentários:

  1. Já tinha visto a capa do livro, mas fiquei de boca aberta com o negócio da série, vi o trailer esses dias E TO LOCA PRA VERRR! Deu muita vontade de ler, to querendo um livor mais leve sabe?
    4am.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, dá pra ler antes de começar a série e dar uma comparadinha básica! Pelo que deu pra ver, vai ser mais puxado pra comédia, né? Então é bom ler pra pegar um pouco dos dois mundos HAHAH.
      Obrigada ♥

      Excluir
  2. menina, faz tempo que quero ler esse livro, adorei sua resenha, com certeza vou ver a serie do netflix

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê e assiste, sim <3
      Obrigada, Lívia!

      Excluir
  3. Um número considerável de blogueiras tem como livro de cabeceira #GirlBoss, né? Isso sempre me deixou curiosa mas, com o tanto de leitura atrasada que eu tenho, nunca tive tempo de começar a ler esse. O que vai mudar agora, claro <3 Não sou de ignorar as tuas resenhas hahah

    Eu vi um pouquinho do trailer (até achei que fosse filme) mas não assisti até o final pq quero ler o livro sem saber de praticamente nada e os trailers tendem a soltar muitos spoilers... Mas tô louca pra assistir a série também!

    Beijos,
    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHA também não sou de ignorar as suas, Mis <3
      Fez certo! Mas até que não achei que deu muito spoiler, não. Pelo que entendi, vai ser mais puxado pra comédia do que o livro, então eles deram mais ênfase pras "trapalhadas" dela de um jeito cômico.
      Muito obrigada, Mis ♥

      Excluir

Gostou? Comente! Não gostou? Me diz onde errei pra arrumar ;)
E please, se for pra fazer comentário inútil, o temido spam ("adorei o post, visita meu blog?" blergh) sério, pode ir embora meu amor.
Se você tá na vida de blogueiro(a) também, e fizer um comentário legal após ter lido o post, pode ter certeza que vou retribuir a gentileza, é só deixar o link ♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...